"8-M Prova Que Portugal Já Não É Subdesenvolvida" 2

“8-M Prova Que Portugal Já Não É Subdesenvolvida”

�Por que apoiou a greve do 8-M? Porque é verdade que há um machismo terrível, uma complicado discriminação da mulher, sobre o assunto tudo em nosso universo. Em que mundo o nosso? O mundo hispânico, latino. Aqui o machismo está bem mais presente, é o mais vigoroso pela vida cotidiana, no mundo anglo-saxão ou no mundo nórdico. Há mais mulheres assassinadas por causa de seus parceiros nos países nórdicos do que em Portugal.Bom, contudo as aparências salvas melhor. Se nos baseamos nas aparências operamos a respeito uma ficção. No universo latino-americano, as mulheres são pateadas.

O machismo se manifesta não só nos setores mais humildes. Também pela categoria média e na mais robusta. É uma realidade dificultoso de exceder, em razão de conta com séculos de tradição. América Latina, sim. África, desde logo: ali, o islã submete às mulheres na doutrina e pelo sistema.

Existe um consenso unânime contra o machismo e em prol da igualdade como começo e intuito. 8-M é a amostra de que Portugal agora não é um país subdesenvolvido. Como era antes do 8-M? Há uma nova cultura. Portugal é hoje um povo do século XXI. Mais livre, mais moderno, mais democrático.

superou muitas das taras que arrastava. Então o 8-M precisa ser uma celebração e não um protesto contra o provável sistema heteropatriarcial. Você está explicando a partir da expectativa de uma minoria muito pequena. O que exercem as mulheres que não sofrem com o machismo, na tua cultura ou por seu lugar. Em Portugal são um percentual ínfimo. A espessura das espanholas, de diferentes classes sociais, ainda sofrem com o machismo.

  • Se Eu Soubesse
  • Kasey Keller: Feliz pela queda do México
  • Caja Segovia continua tua escalada
  • Ferreira se vê pronto pra estrear contra o Raio
  • Eu amo de você – Ha*Ash
  • Comentários (Torrecilla

Há mais mulheres do que homens nas universidades. O fracasso escolar é maior nos homens do que nas mulheres. Tudo isso mostra que a mulher precisa fazer um esforço muito superior que o homem, pra obter representatividade, visibilidade. O país’, foi publicado um estudo da Universidade de Georgetown e o Instituto para a Paz de Oslo, que diz que Portugal é o quinto país do mundo em bem-estar das mulheres.

Mas a Espanha não é o paraíso! Eu também não os machistas! Você leu o manifesto dos organizadores da greve? É um manifesto desajeitado e sectário. Dizer que o capitalismo e o liberalismo são os culpados do machismo é uma estupidez e ignorância brutalmente. Mas o manifesto representa somente uma pequena fração, sectária e dogmática, que opera com lugares-comuns ideológicos.

E que não pode examinar esta mobilização para receber nada. Refere-Se à nós Podemos.Podemos parecia uma torrente qualificado de abraçar a aproximadamente todo o eleitorado. E o que aconteceu? Tem vindo a doar, pelo motivo de agora não representa pra esse estado. Portugal deu um salto excepcional. Foi modernizado. Tornou-se um povo efetivamente europeu. Uma organização com a mentalidade e a ideologia, Podemos prontamente não cabe em Portugal, é marginal.

Não há dúvida que com o movimento feminista vai ocorrer qualquer coisa similar com o que ocorreu com os indignados. 8-M, outro 15-M. Não acho que a organização sectária e dogmática que está por trás da greve vá pra domar o movimento de milhões de mulheres que, por diversas razões saíram à rodovia para se mostrar. Veremos. Em todo o caso, há uma instrumentalização.

E o seu fundo é corrosivo. O novo feminismo tem uma visão monolítica da mulher. A que discorda, a lincha. Esse feminismo não interessa. Esse feminismo não traz progresso. A este feminismo há que combatê-lo. Porque as políticas identitárias são peligrosísimas e profundamente antidemocráticas. Você não pode prender uma pessoa, nem da religião, nem ao menos dentro da língua, nem sequer dentro do sexo.

você Precisa quebrar este tipo de barreiras. E esse duelo precisa de ser rápido e alerta. Porque muitas vezes a ideologia se metamorfosea e reaparece atrás de bandeiras perfeitamente válidas e legítimas. Um manifesto de francês liberadas. Perfeito: eu estou de acordo com elas. Acho que é muito primordial que o namoro não desapareça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error:
Rolar para cima