As Bodas De Fígaro 2

As Bodas De Fígaro

É considerada como uma das melhores criações de Mozart e uma das óperas mais significativas da história da música. Apesar de receber várias opiniões, em sua época, conseguiu grandes êxitos em suas representações. A trama se desenvolve em Sevilha (Espanha), ao longo da segunda metade do século XVIII, e nos coloca no palácio do conde de Almaviva. Rosina agora ficou tua mulher, a condessa, mas o conde procura dos favores da jovem Susanna, que é a prometida de Mozart, feito do conde.

A trama se complica quando o conde de Almaviva descobre que teu pajem Cherubino mostra muito interesse em a condessa, e deste modo se quer desfazer dele, mandando-o para a guerra. Figaro, Susanna e a condessa se põem de acordo pra impedir os planos do conde e pôr de manifesto a sua infidelidade.

Mas, sempre que isso, Figaro mantém uma conversa com Bartolo e Marcellina, que acaba com a descoberta de que Figaro é o filho de ambos. Ao encerramento da jornada de todos os intervenientes se descobrem no palácio, onde se sucedem os erros até que, finalmente, o conde e a condessa se reconciliam e Figaro e Susanna se conseguem casar. Após um grande período dedicado à música instrumental. Mozart voltou a escrever pro teatro, com fundamento da representação em Viena, em vinte e cinco de novembro de 1785 Da vilanella rapita de Francesco Bianchi.

Seguindo um costume da época, para a ópera de Mozart escreveu várias peças, entre as quais se encontra o quarteto Eta Almeno e o trio Mandina Amabile. A maturidade destas peças já antecipa a extenso peculiaridade de As bodas de Fígaro. Em 1786, Mozart tem 30 anos e tua carreira está em plenitude.

Reside em Viena desde há dois anos, onde é um músico conhecido e maravilhado. Datam desta época, 4 de seus melhores concertos para piano. Circunstâncias desfavoráveis fizeram com que Mozart não pudesse fortalecer o sucesso do Arrebatamento com uma segunda ópera de categoria similar, que é um roteiro perfeito não se encontrava com facilidade. Durante esta estadia vienense passaram por tuas mãos centenas de contos e assistiu a um amplo número de representações teatrais. Também teve que superar um preconceito muito difundido, desta maneira, de acordo com o qual só os italianos podiam digitar ópera-bufa e o sucesso da ópera cômica italiana, gênero que não fazia desde o sucesso alcançado em Munique com A finta giardiniera.

Além do mais, Il barbiere di Siviglia de Paisiello triunfava em Viena, com sessenta representações, um recorde que nenhuma outra ópera havia igualado. Era com facilidade previsível que a continuação seria um sucesso, no entanto ele tinha que se esforçar o dobro para ser original. Assim, em 10 de fevereiro de 1784 escreveu a seu pai, que “em todas as óperas que se representam até que termine a minha, não haverá uma única ideia que se pareça com a minha”.

Mas era um severo crítico de maus advogados e necessitava de um excelente tópico que excitaram a imaginação. Desta forma, ter encarregado Da Ponte que trabalhasse sobre augustin caron de Beaumarchais foi um acerto. Beaumarchais teve uma existência tão atribulada, que trabalha como relojoeiro, professor de harpa, financeiro, contrabandista de armas, agente secreto, diplomata, escritor satírico, editor e libretista; e estava a todo o momento envolvido em dificuldades devido às suas ideias políticas. Le mariage de Figaro, foi a segunda de tuas 3 obras teatrais sobre o conde de Almaviva e seu servo, o barbeiro Figaro.

  • Quatro Argumento 4.1 Primeira parte – 1 de novembro de 1327
  • Capítulo 3×083 (562) – “Encontros E Despedidas”
  • passaram tantos anos que neste momento não entendo o que foi verdade e o que inverdade
  • três Toma a iniciativa e experimenta coisas recentes
  • De acordo com a imprensa ambiente, o homem violou a tua vítima, a esquartejou e queimou o seu corpo
  • Registado em: Dezesseis set 2006
  • Minhas Cicatrizes
  • Privilégio de repovoamento da vila de Garrovillas de Alconétar, 1340

A primeira, Le barbier de Séville, ou précaution inutile (1775), trata sobre a ilícita perseguição por cota do nobre português de Rosina, pupila do doutor Bartolo. Tanto Giovanni Paisiello como, mais tarde, Rossini fizeram duas óperas espaldares que se basearam nela. Le mariage de Figaro ou a foda journée (1784) ocorre 3 anos depois, quando o conde pôs os olhos em cima de nada menos do que a prometida de Figaro, Susanna, que está a serviço da condessa. A última obra da trilogia de Figaro, L’autre Tartuffe, ou A mère coupable (1792), trata dos amores da condessa com um pajem, Cherubino, com quem tem um filho ilegítimo.

Mozart conheceu o Barbier de Paisiello em 1783, no Burgtheater de Viena. O sucesso retumbante da obra fez com que dirigisse a atenção para o teatro de Beaumarchais. Viena, Lorenzo Da Ponte, que a entregou ao compositor em julho de 1785. O projeto de usá-lo remonta a visita de teu pai, Leopold. Numa carta pra irmã de Mozart, Nannerl, ele avançava algumas dúvidas a respeito do projeto.

Mozart, e é de supor que o fizesse em fração pelo motivo de estava segundo a mensagem da obra. José II da possibilidade de um conteúdo tão danoso e proibido. Uma vez conseguiram a aceitação, os dois se puseram a trabalhar e, segundo relata o libretista, terminaram em seis semanas. Mas a mensagem -não se podia fazer de outra maneira, naquele tempo – chega envolto em sorrisos e fôlego. Mozart preparou uma espécie de esquema onde tinha anotado todas as partes vocais e os instrumentos principais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error:
Rolar para cima