O Momento Das Mulheres 2

O Momento Das Mulheres

“Pois sim que somos bons”. O lamento sai da boca de Luis Tosar na última frase da cena fim do filme Com uma pistola em cada mão, que estreou há muitas semanas e dirigido por Cesc Gay. As palavras ficam flutuando entre os óleos liberados pelas de uma cozinha onde se aglomeram em bandos uns poucos homens que compartilham amizade, uma certa idade -40 e tantos – e uma infinidade de dificuldades. Um abandonam as mulheres quando pede pra regressar para tua ex, e esse apresenta-lhe uma surpresa que o deixou petrificado.

De acordo, é só um livro, porém como você É o fim do homem em um mundo do serviço feito à tua imagem e semelhança, por todos os séculos dos séculos? Onde estão os homens que sustentam tuas famílias, bem como os conhecemos atualmente, em perigo definitivo de extinção, como coloca, com estas mesmas palavras, Hanna Rosin? Não são perguntas tão ilógicas nem sequer mesmo pela Europa, onde essa realidade é bem mais difusa do que nos EUA ou, até mesmo, em várias partes da Ásia. Na China, tendo como exemplo, mais de 40% dos negócios privados está nas mãos das mulheres.

E o mais interessante: É uma tendência que ameaça os homens europeus, espanhóis incluídos? “Só os hábitos de séculos e séculos nos têm impedido de acompanhar a transformação que está ocorrendo, nos últimos 30 anos. Nos EUA, escreveu Rosin, há várias semanas em um grande artigo publicado pelo jornal londrino The Observer-, por cada 2 homens que recebem um diploma universitário, há três mulheres. Das quinze profissões que se crie vai crescer mais nos próximos anos, 12 são ocupadas por mulheres. Elas se formam, trabalham e deixam espaço pra que novas mulheres se ocupem de tuas tarefas domésticas”.

Este último ponto é essencial. O CASO PORTUGUÊS, Qualquer um será capaz de relatar, “prontamente, todavia isso ocorre nos Estados unidos…”, porém é um fenômeno que se investiga em Portugal desde há longo tempo. Vincent Borràs é pesquisador de QUIT, um ambicioso grupo de trabalho comandado por Fausto Santos na Universitat Autònoma de Barcelona (UAB).

Borràs é co-autor (junto com Sara Moreno, Laia Castelló, e Anna Grau) de Male hegemony in decline? Reflections on the portuguese case. O título é revelador. É dele também uma reflexão que não quer ser categórica, nem ao menos o bem e o mal, todavia sim clara: “Os homens não são incorporadas ao trabalho doméstico e fracassaram já que não assumiram cada responsabilidade. É o homem em perigo de extinção, em termos de serviço?

  • Uma ligação bem-sucedida requer apaixonar-se várias vezes, sempre com a mesma pessoa
  • Desde Que Te Vi
  • sete sete – você é o mais primordial
  • 9-Fala-se bem como do caráter “arrogante” de Magalhães. Como ele mesmo procurou a sua própria morte
  • A que idade você começou a tornar-se uma atriz?qual o meio
  • 25 Pel-licula. “Class”

Àngels Valls, professora do departamento de administração de pessoas e organização da Esade, esboça um sorriso antes de doar uma resposta. “Eu, se fosse um deles, estaria tranquila. Acho -arrazoa – que há certas coisas que não mudam e que executam parte da nossa forma de ser. Não temos nenhum indício de que isto (a hegemonia masculina no serviço) deixará de ser desta maneira. É um facto que, nos anos 90, a mulher se incorpora massivamente ao trabalho quando há escassez de mão-de-obra, que também se completa com gente vinda de outros países. E assim como que em momentos de instabilidade -, revela a professora – a mulher nunca deixou de integrar-se ao trabalho”.

Na distância curta e sem probabilidades é acessível olhar a realidade distorcida, assim os especialistas consultados alertam que certas evidências de um dia se evaporam definitivamente o próximo. É verdade que há alguns anos, indica Vincent Borràs, “a taxa de desemprego feminino era o dobro da dos homens, e imediatamente está mais equilibrado do que nunca”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error:
Rolar para cima