Os 12 Estilos De Usuários De Redes sociais - Blog Magazine 2

Os 12 Estilos De Usuários De Redes sociais – Blog Magazine

abaixo, a listagem dessas personalidades que traduzimos livremente (contribuindo, até já, alguns dos nomes em português, como os “avestruzes”, os “gruñones” ou os “mutantes”) da entrada original de First Direct. Ultras: São fanaticamente obcecados com Facebook ou Twitter. Utilizam esses aplicativos constantemente com seus smartphones, mesmo a começar por seus locais de serviço. A procura revelou que 14% dos usuários do Facebook gastam pelo menos duas horas por dia na rede (21% dos usuários com idades compreendidas entre os 18 e os 24 anos). Negador (avestruzes): notabilizam que os meios sociais não controla a sua existência, entretanto a realidade é muito distinto.

Se não conseguem acessar a tua rede preferida podem sentir aflição e notar-se isolados. Na procura, 20% dos usuários do Facebook, citou que se sentiria “impaciente” ou “isolado” se tivessem que desativar tuas contas, em comparação com 17% dos usuários do Twitter. Ocasionais: Embora mais da metade da população do Reino Unido foi cadastrado no Facebook ou Twitter, nem sequer todos são usuários regulares.

Os usuários ocasionais acessam tuas páginas com pouca frequência, algumas vezes passando dias, ou mesmo semanas, sem twittar ou postar nada. Mais de 30% dos usuários de Facebook e Twitter acessam os sites pra passar menos de 30 minutos por dia. Virgens: As pessoas que se inscrevem pela primeira vez, as redes sociais são capazes de ter problemas no começo para se familiarizar com o funcionamento do Facebook e Twitter, todavia conseguem se tornar Ultras.

Observadores: São os que se escondem nas sombras do ciberespaço e participam insuficiente nas discussões de rede social, frequentemente visto que pensam que não têm nada de envolvente a relatar. Na busca, 45% dos usuários do Facebook se descrevem a si mesmos como “observadores”, comparado com 39% dos usuários do Twitter. Pavões: São facilmente explícitos por causa de eles gostam de demonstrar a todos o quão popular são.

  • Não seja um spammer
  • três Ensino Médio
  • Localização da publicidade
  • 3 Rentabilidade da publicidade exterior

Competindo com os amigos para ter mais seguidores ou fãs, e quantos “curtir” ou retweets recebem. Mais de um em cada 10 usuários do Twitter dizem que é considerável para eles ter mais “seguidores” que seus amigos. Gruñones: Educados e comprova no cara-a-cara, são muito obstinados nas conversas on-line. Os meios sociais que lhes permite opinar de modo agressiva, sem se preocupar de como reagirão os outros. 11% dos usuários de Facebook e 17% dos usuários do Twitter dizem que as redes permitem que ser mais tolos que de forma diferente.

Fantasmas: Alguns em redes sociais estão preocupados em mostrar informações pessoais a inexplorados, pelo que se inventam nomes de usuário para permanecer no anonimato ou ter perfis e timelines notoriamente escassos. A “segurança” é mencionada como uma razão pra não utilizar seus nomes reais em 15% dos usuários do Twitter e 6% dos usuários do Facebook. Mutantes: Para outras pessoas, ser desconhecido, não é suficiente. Também adotam personalidades muito diferentes, a certeza de saber que não se entende tua identidade real. Em torno de 5% dos usuários de Facebook e Twitter confessam que camuflar suas identidades nas mídias sociais permite-lhes mais independência para expressar tuas críticas.

Preguntones: Para esse tipo de utilizadores gostam de fazer dúvidas no Facebook e Twitter com o fim de iniciar discussões e impossibilitar o traço de ser excluído. Segundo a pesquisa de First Direct, cerca de um em cada 10 usuários do Facebook e Twitter dizem que gostam, com suas páginas para fazer questões, em vez de anunciar somente mensagens ou atualizações. Confiáveis: O dado é a moeda de troca nas mídias sociais. Ser o primeiro a acompanhar alguma coisa curioso e compartilhá-lo faz você ganhar prestígio e, não menos significativo, o maior número de seguidores e fãs.

Para conduzir a cabo a sua política rodeou-se de conselheiros brilhantes e criativas que lhe seguiram, em Washington. Pode acrescentar-se Raymond Moley, Adolf Berle, Cordell Hull (Negócios Estrangeiros), Henry A. Wallace (Agricultura) e Frances Perkins (Trabalho), a primeira mulher que assumiu um cargo ministerial. Harry Hopkins, um de seus conselheiros mais próximos, também foi um dos arquitetos do New Deal.

Ele foi considerado, consequentemente, uma eminência parda. Roosevelt se levantou com a vitória nas eleições graças às tuas experctativas de modificação que se apoiavam em uma política voluntarista e intervencionista. Como regular a economia? No lugar de Roosevelt se confrontaron, em parcela, 2 modos de regular a economia.

Este. Junto a Louis Brandeis, Felix Frankfurter, um jurista formado em Harvard, eram os mais eminentes representantes do local de Roosevelt. “uma estratégia rápida e versátil, que permita ao Governo federal utilizar a sua autoridade pra reformar as práticas de livre concorrência”. Louis Brandeis, seu fundador, foi assessor de Woodrow Wilson e ambos se tinham posto de acordo a respeito do fato de que a concorrência poderia e deveria ser mantida em todos os ramos da indústria privada”. Para Brandeis, as regulamentações deveriam aspirar preservar a concorrência, limitando o tamanho das organizações. De forma geral, de acordo com Schlesinger, para Brandeis “a centralização lhe obrigou a sociedade, abafando a experiência e concentrando-se em um ponto os talentos necessários pra comunidades”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error:
Rolar para cima