Os Gatos Do Museu Hermitage 2

Os Gatos Do Museu Hermitage

O museu Hermitage de São Petersburgo, a pinacoteca, o maior do mundo, pôs há longo tempo em funcionamento a maneira mais tradicional de se conservar o seu magnífico património do ataque de roedores. Uma “patrulha” constituída por sessenta e cinco gatos é a encarregada de pôr afastados os intrusos. Três pessoas se dedicam em tempo integral pra cuidar e alimentar os felinos.

Irina Popovets é que se encarrega de cuidar deles, se precisaran qualquer tipo de assistência veterinária. Ela os mantém saudáveis e bem nutridos. “A única presença dos gatos é bastante pra tirar ratos e camundongos”, diz Popovets. Segundo suas palavras, “às vezes temos que colocar dinheiro de nossos bolsos pra cobrir estes menores gastos, contudo o que fazemos com amo”.

também, Há um fundo beneficente chamado “amigos dos felinos do Hermitage”, que traz doações. Para incentivar a generosidade dos doadores, de vez em quando se organizam exposições temáticas dedicadas às pinturas em que aparecem gatos e outros animais de estimação. Dão-Se essencialmente na pintura do renascimento italiano. O Hermitage assim como mantém na sua seção de arte egípcia uma múmia de gato.

E é que todos os anos a direção do museu presta homenagem às adoráveis e bigotudas criaturas que habitam os porões do imenso Palácio de Inverno. Universitárias e alunos das escolas de fantásticas artes participam de um concurso de pintura, cujos panos precisam simbolizar qualquer tipo de felino, a partir de leões a linces e, é claro, gatos. O certame acrescenta também uma exposição de fotografia.

O diretor do Hermitage, Mikhail Piotrovski, diz que “os gatos se tornaram uma parte muito significativo da vida do museu e numa de tuas lendas mais essenciais”. Piotrovski contava em uma ocasião que “o czar Pedro I, o Grande trouxe para o palácio de um gato que lhe deram na Holanda”. Aquilo foi no início do século XVIII e, de acordo com o diretor do Hermitage, “foi desta maneira quando começou a nossa história de amizade com esses animais”. Existe a crença de que os gatos afugentam os maus espíritos e são condutores de energia positiva. Os russos bem como estão convencidos de que sua proximidade impede que se aumente a pressão nas artérias e auxílio a manter uma legal saúde.

A imperatriz Catarina II, criadora do museu em 1764, deu ordem de selecionar os incríveis gatos caçadores de ratos. A soberana foi quem, na primeira vez, deu aos animais o status de “guardiões” das riquezas ali atesoradas. O Hermitage acumula em seus fundos, cerca de 3 milhões de peças pertencentes a diferentes épocas, civilizações e culturas. Apenas 3% de todas as obras estão à visibilidade do público, porém os gatos cuidam dessas e, sobretudo, as que estão guardadas nos armazéns.

  • Mensagens: 4.791
  • Beija-flor coliancho, Gênero platycercus
  • Bríndale ternura no dia a dia
  • Telefonia e Acessórios

Se um bibliotecário com mais queridinho pudesse explicárselo ao usuário, se o apreciaria. Para os que gostem das estatísticas, você pode enxergar a prosperidade de nossa wiki entre 24 de agosto e 28 de setembro nesse lugar. Como de costume, melhoramos a nossa característica e o tamanho de nossos artigos em percentagens, continuamos colocando alguns links externos (fontes), poucos links internos e os wikificares como de costumbren continuam a amadurecer :Þ.

Ao ver de novo minha relação de seguimento me achei com a última modificação no post Mao tse-tung consistiu em adicioná-lo à classe:Ditadores. Fiquei surpreso com a própria vida dessa categoria, inexistente em algumas wikipédias, e que parece convidar a cada um dos tipos de competições e batalhas de edição em posts sobre isto protagonistas históricos controversos, como o respectivo Mao.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error:
Rolar para cima