Teoria Da Aprendizagem Social 2

Teoria Da Aprendizagem Social

A hipótese da aprendizagem social ou TAS é a hipótese de que as pessoas aprendem novos comportamentos, através do reforço ou punição, ou por intermédio da aprendizagem observacional dos fatores sociais de seu entorno. 1787: Observações dirigidas para saber que tipo de educação precisam os filhos. Julian B. Rotter se distanciou das teorias baseadas pela psicose e do behaviorismo radical, e construiu uma suposição da aprendizagem baseada pela interação. No Social Learning and Clinical Psychology (1954), Rotter sugere que o consequência da conduta tem um impacto sobre a motivação das pessoas pra fazer essa conduta específica.

As pessoas que desejam evitar as consequências negativas, e comprar as positivas. Se você espera um resultado positivo de uma conduta, ou pensa que há uma alta alternativa de situação de um efeito afirmativo, então haverá mais probabilidades de fazer essa conduta. A conduta se reforça, com decorrências positivas, levando a pessoa a repeti-la.

Esta teoria da aprendizagem social sugere que a conduta é influenciada por fatores ou estímulos do lugar, e não apenas os psicológicos. Vygotsky e Lave. Sua teoria compreende estilos do aprendizado cognitivo e comportamental. A aprendizagem comportamental pressupõe que o lugar das pessoas razão que essas se comportem de acordada maneira. O aprendizado cognitivo pressupõe que os fatores psicológicos são significativas influências no modo das pessoas.

  • Rival de Portugal: A cidade de Recife
  • 1 Sede 4.1.Um Bloco Simón Bolívar
  • O complexo de ditadura
  • A intercomunicação ou interação entre os membros do grupo
  • Fotogaleria: Infiltrados nas Finais

A aprendizagem social sugere que uma combinação de fatores ambientais (sociais) e psicológicos sugestionam a conduta. A hipótese da aprendizagem social sinaliza três requisitos pra que as pessoas aprendam e modelar o teu jeito: retenção (tenha em mente o que se tem visto), reprodução (competência de reproduzir a conduta) e motivação (uma interessante desculpa pra pretender apadrinhar essa conduta.

Estratégias de aprendizagem. Combinação de métodos, meios e mediações didáticas, utilizadas por professores-tutores e Aprendizes, para simplificar o aprendizado e a obtenção dos resultados determinados no projeto curricular. Uma estratégia consiste em selecionar as habilidades mais adequadas para cada circunstância e aplicá-las adequadamente. Facilitar a aprendizagem requer um planejamento.

Pra essa finalidade se centrara a atenção em 3 das correntes psicológicas contemporâneas mais respeitáveis que têm tentado explicar o recurso em que o ser humano: elas são as correntes comportamentais, cognitivas e construtivistas. As teorias de aprendizagem descrevem a maneira em que os teóricos acreditam que as pessoas aprendem recentes ideias e conceitos.

Frequentemente explicam a relação entre o detalhe que imediatamente se tem, e a nova informação que está tentando aprender. “A aprendizagem é uma modificação na persistência ou competência humana, com feitio de relativa permanência, e que não é atribuível só ao procedimento de desenvolvimento”. As teorias comportamentais ou do condicionamento estímulo e resposta tem sua origem, principalmente, nas teorias de J. B. Watson, E. L. Thorndike e B. F.

Skinner, ademais, eles têm um antecedente significativo nos experimentos com animais sobre o assunto aprendizagem levado a cabo por Ivan P. Pavlov em fins do século XIX. Behaviorismo. Corrente da psicologia que se baseia na observação do jeito ou conduta do ser que se estuda e que se concentre só em condutas objetivas observáveis.

O Behaviorismo Considera que a aprendizagem é de condicionamento estímulo-resposta (E-R). Em tal sentido, esse condicionamento pode ser: clássico e instrumental. Explica-o como um conjunto de relações entre estímulos e respostas. Condicionamento clássico. Desenvolvido pelo cientista russo Ivan Pavlov e o condicionamento clássico é o primeiro tipo de aprendizagem em que um corpo responde a um desafio ambiental. Pavlov estabeleceu as leis do condicionamento clássico, no momento em que estudou os cães privados de alimento e a tua resposta (salivação humana) quando o assistente de Pavlov entrava no quarto.

Não há reforço e baseia-se no início de adesão, no qual um desafio ou resposta está unido a outro desafio ou resposta, a presença de um evoca o outro. O experimento de Pavlov, ilustra este tipo de condicionamento. No modo de aprendizagem, estímulos que antes eram neutros (aqueles que originalmente não provocaram essa resposta), vão adquirindo mais perícia, para evocar respostas que previamente se originavam em outro desafio. Condicionamento instrumental. O termo condicionamento instrumental foi introduzido por Edward Thorndike, e sugere que a conduta serve como um instrumento pra atingir um término.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error:
Rolar para cima