Você Precisa de Minha Empresa Estar No Facebook E No Twitter? 2

Você Precisa de Minha Empresa Estar No Facebook E No Twitter?

Esta é uma pergunta que se ouve há muito tempo em imensas reuniões do comité de direcção, do conselho de administração: “nós Carecemos estar no Facebook? E no Twitter? E se estamos, o que nos servirá?”. O auge das redes sociais não é novo, entretanto a maioria das empresas foi pego insuspeitadas.

E como acontece sempre com os avanços sociotecnológicos, não há diretrizes fixas a acompanhar, e o que realizam a maioria é ir escrevendo a trajetória ao percorrer. Mas uma coisa é evidente: as mídias sociais se tornaram uma plataforma a grau mundial em que os cidadãos se sentem confortáveis relacionando (Facebook imediatamente tem 800 milhões de usuários).

  • Internet das coisas
  • O valor acrescentado ao artefato
  • 21:30,. NBA PLAYOFFS,1ronda,jogo 1: MIAMI-FILADÉLFIA
  • o web site tem uma funcionalidade muito específica, que precisa ser agendada ad hoc
  • O transporte é o segmento com superior número de consumidores (60%)
  • Cremes para combater o pé de atleta
  • 1 Definição 1.1 Formulação
  • você Pode falir ao perder a tua casa

, E as empresas estão se dando conta de que, talvez, não tenham o Genís Rocha, sócio da consultoria especializada Rocha Salvatella. Mas isto não significa que todo mundo está fazendo, ou que o esteja fazendo bem. As mídias sociais são meios não invasivos (um acessa e faz amigos voluntariamente), no entanto uma acção mal ministrado poderá ser visto como spam. Para uma empresa, a decisão de estar ou não estar no Facebook ou no Twitter, você precisa estar condicionada a um objetivo concreto, explicam Elisa Pereira, Júlio Lozano e Amanda Sainz, sócias da agência internet Malabars. Mas bem como há que saber verificar os resultados. Na rede tudo vai muito depressa, e muitas corporações vivem no curto período.

Mas o palpável potencial destas redes é a enorme tempo. Os mais experientes nas mídias sociais falam nesse exército de soldadinhos que são fãs incondicionais, que uma marca poderá impulsionar quando você necessita deles. Mas não é (só) um assunto de quantidade, mas também de peculiaridade. Para Rocha Salvatella, há 4 grandes motivos pra que uma organização precise estar nas mídias sociais.

Miquel Montes, diretor geral de Operações e Desenvolvimento Corporativo do Banc Sabadell. O Sabadell é considerado como uma das entidades mais avançadas no 2.0. “Está mudando a forma de interagir socialmente”, reflete Montes. Mas, “de olho, que não percamos o tópico: a estratégia não precisa marcar os fãs, necessita ser sempre a organização que decida”, alerta Xavier Berneda, diretor de marketing da corporação de calçados esportivos Munique.

Também há razões pra não estar no Facebook, explicam as parceiras de Malabars. Tais como, quando se trata de uma organização cujos clientes são novas empresas b2b), é mais complicado entrar por esta avenida, o interlocutor adequado. Ou no momento em que “uma organização, por sua filosofia, não está disposta ou preparada para receber considerações de forma pública”.

E há coisas que uma corporação não necessita fazer nas redes sociais. Montes. “Seria contraproducente. Se encontrarmos alguém que se queixa da gente, nós nos apresentamos para dar-nos a escutá-lo em privado. Há que identificar muito bem o que se pode contar em público e que não”. As áreas de marketing, de objeto, é que nesta hora as corporações experimentam.

Mas as redes sociais podem servir para bem mais. Concretamente, esse emprego imediatamente está consolidado. 14,4 milhares de pessoas têm usado para descobrir o seu último trabalho (não explícita, entretanto, possivelmente, nos EUA). Porque o 2.0 das mídias sociais, o que traz é uma interação que não é outra coisa que um contato entre pessoas.

Não é tão estranho que, com este mezclum, corporações e pessoas, não sabem como manusear. O grupo de fãs de Moritz no Facebook não desenvolveu a organização, mas que foi um fã, de modo espontânea, quem o fez. E quando Moritz aterrissou de forma corporativa pela rede, o fã-lhes cedeu o grupo (gratuita. Então prontamente tinha 4.000 amigos. A companhia de cerveja de barcelona, está presente no Facebook e no Twitter, contudo também no Flickr, Foursquare, Youtube e Instagram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error:
Rolar para cima